domingo, fevereiro 12, 2006

A Indistinção dos Sons

.

Há muito que me obceca a obra de Svetlana Bakushina, cuja juventude encontrou o contraponto numa torturada profundidade. Neste exemplo, «Melodia Para Uma Flauta», não somos levados a ligar a tentativa de auscultação da Música da Terra ao ameaçador começo da indistinção das formas humanas? Como os orifícios do instrumento, aludidos no título, não ameaçam a subjugação a que obriga o posicionamento cimeiro e a vigilância de outros furos? Será resposta notar que a intranquilidade humana retira de uma sequência musical o prestígio e confiança da harmonia. Tanto quanto permite o império da máxima «O Reino dos Sons não é deste mundo das imagens».

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home